Ansiedade atinge quatro em dez brasileiros

Chamada de "doença do século", a ansiedade é considerada normal e saudável quando, por exemplo, temos um evento importante como uma prova ou entrevista de emprego. O problema é quando os sintomas aparecem sem motivo aparente e são constantes - medo, inquietação, irritabilidade, taquicardia, falta de ar e aumento da pressão são sinais de ansiedade patológica. Segundo a Organização Mundial da Saúde, o problema atinge 33% da população e 4 em cada 10 brasileiros, segundo o Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente (Ipom).


A ansiedade é uma coisa boa, pois é uma reação do organismo frente a uma situação de perigo. O problema é quando disparamos esse mecanismo do cérebro em "situações bobas", cotidianas e imperceptíveis. O tratamento deve ser sempre com psicoterapia e, em alguns casos, com medicamento - sempre com orientação médica. Vale ressaltar que, os dois tipos de tratamento devem ser feitos juntos, pois um não substitui o outro.


Os ansiosos em geral são pessoas mais controladoras, que projetam tipicamente uma percepção negativa para o futuro, enquanto os depressivos o fazem para o passado. Vale ressaltar que, os dois males podem coexistir na mesma pessoa. A falta de tempo, a vida no automático, o estresse e o uso das tecnologias, tão presentes em nosso dia a dia, podem aumentar os casos de ansiedade, segundo especialistas.


A ansiedade em excesso pode desencadear outros transtornos como síndrome do pânico, fobia social, transtorno de estresse pós-traumático e transtorno obsessivo compulsivo (TOC). Procurar ajuda especializada o quanto antes é fundamental para o alívio dos sintomas e sucesso no tratamento.



Fonte: Extra, Globo.





Posts Recentes
Arquivo